Lisboa: Pavilhão do Conhecimento

Visitamos o Pavilhão do Conhecimento durante a nossa viagem a Lisboa, para ler todas as dicas de Lisboa  clique aqui.  A entrada do Pavilhão é uma graça, conforme você vai subindo a rampa, há marcações no chão indicando que aquilo é um fóssil, a Sofia agora procura fósseis até nos pisos dos Shoppings! 😉

Valores : Crianças de 3 a 6 anos pagam 5 Euros, 7-17 anos pagam 6 Euros e adultos 9 Euros. Clique aqui, para ver valores atualizados e horários de fucionamento.

Logo após a bilheteria há uma mesa enorme com cadeiras gigantes, onde é possível fazer fotos engraçadas! A partir desse ponto começa um mundo de perguntas e observações, tocamos em uma esfera de plasma, uma harpa sem cordas e então chegamos em um espaço bem grande onde era possível fazer alguns experimentos de percepção, luz e visão, ficamos mais de uma hora nesse espaço, a Sofia testou todos os experimentos. Há um monitor caso haja alguma dúvida, porém podemos ficar a vontade.

Esfera de Plasma
Harpa sem corda
Caixa de Sombras

Saindo dessa área fomos para o espaço Brincar Ciência, onde a Sofia brincou por algumas horas! As instruções foram passadas em português para ela, achei o máximo, pois ela se virou, entendeu todas as regras e respondeu todas as perguntas que a facilitadora fez a ela! A maioria das crianças que estavam nesse espaço eram brasileiras, então eles brincaram muito, as crianças levavam os tijolos em um carrinho e movimentavam as alavancas das máquinas para levá-los para cima e depois construíam o prédio! Há também um local onde as crianças tinham a sensação de estar na lua, a Sofia foi três vezes! 😉

Aviso no chão na entrada desse espaço.
A crianças se divertem!
Sofia sendo astronauta

Seguimos para a exposição Bom Apetite! A Ciência está a mesa, essa mostra é composta por mais de 30 módulos interativos que nos revelam que comer bem não é apenas uma questão de calorias ou quantidades. Nos faz pensar sobre o que nos abre o apetite? Como podemos confeccionar um jantar saudável? Será que existem alimentos proibidos? E a televisão, ajuda a engordar? A mostra oferece aos visitantes meios para compreenderem melhor as regras de uma alimentação saudável, ajudando a filtrar as mensagens e informações que, todos os dias, surgem ligadas à alimentação.

Espaço Bom Apetite, A Ciência está na mesa
Fazendo as escolhas dos alimentos para o preparo de uma refeição, e aprendendo sobre o equilíbrio.

A exposição não impõe um percurso obrigatório, propõe uma visita intuitiva construída em torno de cinco grandes temáticas definidas por cores dominantes: Porque comemos, um bom prato, pesquisa sobre os alimentos, o gosto dos outros, uma fome de cidadão. A Sofia brincou e aprendeu mais sobre os alimentos.

Depois fomos para a exposição Risco: uma exposição para audazes, que ensinava a identificar os riscos, compreendê-lo e e ser capaz de o avaliar, a Sofia fez algumas brincadeiras mas era mais interessante para crianças maiores. Havia 25 módulos interativos que permitiam ao visitante medir o nível de risco dos seus comportamentos e perceber como este, quando razoável, pode contribuir para o desenvolvimento pessoal e para uma sociedade inovadora. Lançar 100 dados para compreender a lei dos grandes números, jogar numa roleta eléctrica e testar a coragem e a apetência pelo risco ou desativar uma bomba eram alguns dos desafios propostos.

Pêndulo de Foucalt, há um desse no Exploratorium em São Francisco também. E área Risco vista de cima.

Seguimos em direção a exposição “DÓING – oficina aumentada” , essa exposição recém inaugurada em  25 de julho de 2017, dia do 14º aniversário do Pavilhão, e não tem data para fechar.

Inspirada no  The Tinkering Studio do Exploratorium de San Francisco, caso queira ler nosso relato sobre o Exploratorium clique aqui, e com uma boa dose de influência do movimento maker (fabricar) e da cultura do-it-yourself (faça você mesmo), a Dóing é uma oficina, um ateliê de costura, um estúdio de prototipagem, uma pista de lançamento de grandes idéias que nós amamos! A Sofia brincou muito nesse local.

Espaço Dóing

É um espaço para criar, fazer, experimentar, construir e partilhar, onde tentativa e erro se conjugam de forma divertida e inspiradora. São mais de 500 m2 de atividades para criadores, curiosos, nerds e geeks.

A Dóing divide-se em duas áreas. A área Tinkering composta por atividades abertas que nos fazem pensar com as mãos, levando-nos a contornar obstáculos e superar-nos a nós mesmos. Os desafios são diversos: explorar circuitos elétricos, construir aviões de papel e testar a sua aerodinâmica, criar percursos para que um berlinde se desloque entre dois pontos da forma mais rápida, mais lenta ou qualquer outro desafio a que o visitante se proponha. É um espaço de inovação e criatividade destinado a escolas e famílias.

Foto da direita Sofia testando a aerodinâmica do seu avião de papel

A área Maker é um espaço de produção, onde os visitantes podem desenvolver os seus próprios projetos. Desde a construção de peças de roupa e joalheria com componentes eletrónicos, à impressão de objetos com impressoras 3D, este é um espaço onde as ideias ganham forma.

No Pavilhão do Conhecimento todas as outras exposições, com excessão da Dóing, não são permanentes, achei ótimo, pois deve dar vontade de visitá-lo sempre! Nós amamos lugares assim! O pavilhão do Conhecimento tem o mesmo conceito do Exploratorium de São Francisco, do Catavento Cultural e do Sabina no Brasil.

E você já visitou algum desses locais? Gostou da experiência? Conhece algum lugar com esse conceito no Brasil? Coloque aqui nos comentários!

2 comments

  1. Muito bacana o post e o lugar parece incrível!
    O museu da criança de Chicago, no Navy Pier, é um espaço de brincar semelhante em alguns aspectos, mas mesmo assim a proposta do de Lisboa parece mais interessante.. por mudarem as exposições e por parecer maior. Adorei e vou querer conhecer! Beijos

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *